Seguidores

Loading...

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

MAIS UM ANO SE PASSOU.






Mais um ano se passou,
Um balanço de vida se fez.
O que ele nos proporcionou,
Agradecemos pouco, talvez.

Mais um ano se passou,
E não o percebemos,
E como um susto voou,
Sem deixar extremos.

Mais um ano se passou,
Batalhas e lutas percebemos.
A tristeza não ficou,
Porque a ela combatemos.

Mais um ano se passou,
E ao olharmos atrás,
sentimos o ganho que ficou,
De ação que satisfaz.

Mais um ano se passou,
Vimos a criança sorrir.
Gesto que nos alegrou,
Neste mundo do porvir.

Mais um ano se passou,
Perdas e vitórias tivemos.
Contudo a esperança não faltou,
E jubilosos vencemos.

Mais um ano se passou,
Sob as asas do Senhor.
Ele nos abençoou,
Com a Sua mão de amor.




Chegou Majoli:


E com as bençãos do Senhor
Enfrentamos as diversidades
Pois em nós existe o amor
Que nos trás felicidade


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

DIVINA LUZ









Eu Sou o bom pastor,
Assim disse Jesus.
Das minhas ovelhas sou cuidador;
Porque Sou a Divina Luz.

Em pastos verdejantes pô-las-ei,
Guiar-lhas-ei em águas tranquilas.
As suas almas refrigerarei.
Nelas, minha bondade cintila.

A elas nada faltará.
Da minha justiça dar-lhas-ei.
O meu cálice transbordará,
Seu grande pastor ser-lhas-ei.

O meu cajado e minha vara os consolarão.
Da sombra do vale da morte livrar-las-ei.
Com óleo santo ungidas serão,
Do temido inimigo ocultar-las-ei.

Em minha casa habitarão.
A minha misericórdia terão.
Os meus mandamentos obedecerão,
E da vida eterna experimentarão.

Eu Sou o supremo pastor,
Levar-las-ei  para a Minha glória.
Ouvi o seu grande clamor,
A elas, darei a Minha vitória.




Nestes dias de grande sensibilidade cristã, conclamo a leitura da bíblia, para o bom conhecimento de Jesus.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

TROFÉU

BLOG DA PATI



Da Pati eu ganhei,
Um presente interessante,
Pelo qual me orgulhei,
Achando-o importante.

Aos amigos agradeço,
Os trinta e quatro votos confiados.
São gestos que não têm preço,
Ali na urna depositados.

Na simplicidade dos meus versos,
D’alma proveniente,
Procuro ser diverso,
Para atingir todas as gentes.

Não sou pessoa erudita,
Mas letras eu fabrico.
Nesse giro que gravita,
É onde me identifico.

Ainda em estado de graça,
Por ter ganhado este tesouro.
À Pati, mulher de raça,
Obrigado, pelo XÍCARA DE OURO!



Atenção: Cliquem no topo, em BLOG DA PATI, e façam-lhe uma visita.


UM PEDIDO: A nossa amiga EDILENE, dedicada professora, tem um sonho a realizar. Cliquem em seu nome para visitá-la e, também, na VAKINHA  para ver como ajudá-la.

domingo, 16 de dezembro de 2012

O NAVIO




Pelas ondas vem singrando,
Lentamente a navegar,
Aquele castelo flutuando,
Para no porto atracar.

Olho e vejo a beleza,
Daquele edifício no mar.
Parece pequeno ante a natureza,
Mas é obra de admirar.

Com mais de quatro mil viventes,
A bordo daquele castelo fantástico,
Que sobre as águas desliza contente,
Galante, belo; entusiástico!

Ao porto logo chegou,
Aguçando, em nós, curiosidades,
Para ver de perto o vapor,
Que trazia celebridades.

Mulheres requintadas desciam,
Transpirando ao calor do lume,
Fragrâncias francesas se esvaiam,
Deixando, no ar, o perfume.


Homens bem apessoados,
Faziam cortejos a elas.
Com gestos finos e educados,
Abriam os caminhos delas.

Eram damas verdadeiras,
Tais quais rainhas serenas.
Delicadas e brejeiras,
Que roubavam a cena.

E a cidade se encheu
Da graça das vibrantes beldades,
E o nosso coração enterneceu,
Com muita intensidade.

E o dia se passou,
O sol se ocultou,
O navio apitou e zarpou,
Na cidade, a noite chegou!



Saudades daqui, mas o tempo não tem me dado tempo.