Seguidores

Loading...

sábado, 28 de junho de 2014

Ò TERRA AMADA!



                                                         Imagem: José Rezende mendonça



Ilhéus, eterna menina admirada,
Cercada de rios e verdes mares.
Poetas e escritores por ti inspirados,
Nas noites benditas de plenos luares.

Contemplar suas ruas e praças,
É como viver a história contada.
Gabrielas brejeiras, cheias de graça,
Sorrisos largos, fáceis de ser notadas.


Rica em cultura e história,
Jorge Amado te imortalizou,
Em seus livros vive a tua memória,
Onde o mundo te viu e consagrou.

És repleta de sedução,
A tua beleza assim permite,
Conquistas até o indiferente coração,
Que por aqui transite.

Mitos ou verdades sobre os coronéis,
Que pelo teu seio, assim, passaram.
Deixaram rastros indeléveis nos bordéis,
Quando as burguesias no cacau imperavam.

Hoje tu, ainda, és uma esperança,
Nesta longa e grande caminhada,
Em ti, depositamos nossa confiança,
Tu és bela, ó terra amada!

TUNIN

EM HOMENAGEM  ao aniversário da cidade de Ilhéus


quinta-feira, 26 de junho de 2014

NO CAMINHO DA RUA

                                                                  IMAGEM: GOOGLE


No caminho da rua,
Andando vou com atenção,
Ouço vozes que vêm da lua,
Eram damas em conversação.

Nesta rua estreita,
Duas vizinhas, no alto de suas janelas,
Conversavam satisfeitas,
Sem nenhuma cautela.

Quem passava na viela,
Podia ouvir a falação,
Comentavam até da panela,
Que queimava no fogão.

Vizinha, nunca mais lhe vi!
Um whatsApp vou passar,
Pois a gente mora juntinho aqui,
E uma parede parece atrapalhar.

Você soube da Eliane?
Ela acabou de viajar,
Achou um namorado na Alemanha,
E foi a ele se encontrar.

Pensa em por lá ficar,
O tempo que o amor durar,
E se a coisa perdurar,
Um filho ali nascerá.

Quão disposta ela está,
Não é vizinha Guiomar?!
Desejo a festa feliz acabar,
E o amor nela se consumar.

E elas ficaram tricotando,
E a caravana passando ia,
As duas línguas mexericando,
Absortas na porfia.

E eu na cachola guardava,
Para contar neste espaço,
O que era alinhavada,
Na conversa sem embaraço.

OBSERVAÇÃO:
Os nomes aqui mencionados são fictícios.



quinta-feira, 5 de junho de 2014

O CASEBRE

                                         Imagens de sertão tumblr



No meio do mato, o casebre,
Feito de tijolo, coberto de telha,
Passeia a galinha, pato, a lebre,
Juntos vivem o porco, cavalo e abelha.

Neste lar mui feliz.
Há uma família singela,
Onde o amor faz o que diz,
Como as linhas de uma aquarela.

Papai trabalha na roça.
Mamãe cuidadora da casa,
Seu transporte é uma carroça,
Lenta, mas nunca atrasa.

A noite chega mansinha,
Todos reunidos estão,
Pai, mãe e filhos juntinhos,
Agradecem, aos céus, em oração.

O jantar posto na mesa,
O carinho da mamãe executou.
Há sempre uma surpresa,
Feita com muito amor.

Logo após o jantar,
Cada um para seu aposento.
O amanhã tem o trabalhar,
Papai vai garantir o alimento.

Chega o fim de semana,
Trazendo alegria geral.
A família reage ufana,
Para curti a música habitual.

O velho senta no banquinho,
Na frente da casa feliz,
Os dois pequenos do seu ladinho,
Ouvem contente o seu cantoril.

Ele de viola na mão,
E o coração cheio de melodia,
Dedilha linda canção,
E leva às crianças, grande alegria.

Aí mora a felicidade,
O pouco é a sua satisfação.
Tudo é feito com lealdade,
Nada de corrupção!