Seguidores

Loading...

domingo, 16 de setembro de 2012

NO QUINTAL DE MINHA AVÓ




Tinha porco, tinha galinha,
O vermelho galo major,
Com sua crista aplumadinha,
Conquistava a carijó.

Logo cedo pela manhã,
Era uma festa sem igual.
A minha avó anciã,
Com seu milho habitual.

Lançava sobre os animais.
Aquele alimento matinal.
Todos comiam, como a rituais,
Numa concorrência geral.

Vovó ficava no meio,
A controlar a bicharada,
Parecia um pagodeio,
Em engraçada batucada.

Tangia um bicho para lá,
Para que outros pudessem comer,
Mas ele retornava pra cá,
E via vovó embravecer.

A galinha a outra bicava,
Invadindo a confusão.
Ela apenas desejava,
Garantir o seu quinhão.

A gente da janela assistia,
Aquela cena genial.
A vovó de saia rodopia,
Era um belo festival!

São lembranças de criança,
Que o tempo não apaga.
Como é bom a bela infância,
Com uma vovó que nos afaga.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

MANHÃS DE SETEMBRO




Nestas manhãs de setembro,
Exala o odor do perfume das flores,
Que aviva e toca o sentimento;
Como no encontro dos amores.

Céu pleno em lindo azul,
Cobre a paisagem, o enfeitar.
Contemplo o leste e o sul,
Vejo o belo sol brilhar.

Garotas passam a malhar,
Sob o som de pássaros observadores,
Volto-me e fico a admirar,
O evoluir de seus passos estonteadores.

Elas nem olham para trás,
continuam o seu caminhar.
Os bobos vão atrás,
sonhando o  sonho a sonhar.

São assim as manhãs de setembro,
Onde brilha o reino da alegria,
A melodia de outrora me lembro,
Num gozo forte de harmonia.



domingo, 2 de setembro de 2012

PIÃO




Eu girei o pião,
Você também girou.
Na palma de minha mão,
Ele rodopiou.

Roda pião, roda.
Nunca deixe de rodar.
Jamais saia de moda
Pela emoção do brincar.

É belo vê-lo dançar,
No rodar sem parar.
Quando a força começa a esgotar,
Ele para pra descansar.

 O pião a movimentar,
Ativa a imaginação
Da criança que ao olhar,
Guarda-o no coração.

No recreio da escola
Era disputado o pião.
Aquele brinquedo que rola,
Em gostosa competição.

Ainda tenho na lembrança
Toda aquela sensação.
Da sadia festança,
Ao rodar do pião.