Seguidores

Loading...

sábado, 28 de abril de 2012

AS PERALTICES DO VOVÔ




Vovô Zezito era um homem que gostava de viver. Por toda a sua caminhada celebrava a vida com arte, prazer.
Aprendeu a dirigir cedo, num daqueles modelos Ford antigo. No primeiro dia em  que ele entrou no dito carro, para todo prosa, mostrar para os amigos que sabia conduzir aquele brinquedo de gente grande, ele exclamou: “ agora tenho uma casa  de quatro rodas, onde posso ir ao lugar que quiser”. Espirituoso como sempre, levava assim a vida que escolheu viver.
Nos dias festivos de carnaval, em sua pequena cidade do interior baiano,  enfeitava o Ford, colocava a filharada e ficava  fazendo algazarra, circulando ao redor do jardim na pracinha da cidade.Todos saiam para ver a alegria do “velho”.
Era um exímio pescador, mas sempre escapulia o maior peixe no momento máximo. Conversa de pescador; ele não poderia fugir à regra.
Das muitas estrepulias que protagonizava, separei uma que é hilária.
Morava numa rua que quando se abre a janela, dá-se  de cara com o vizinho do lado oposto.
À tarde quando o sol se declinava, ele tinha o hábito de por a cadeira na calçada para apreciar as novidades. Havia, também, uma senhora do outro lado que fazia o mesmo. E os dois trocavam conversinhas de não se jogar fora.
Certo dia, os dois estavam a deliciar do frescor do fim de tarde. Do outro lado da rua, um pouco mais adiante, havia uma garagem adaptada para escritório de um velho corretor.
Este corretor, inocentemente, não percebeu que os dois ficavam de olhos nas novidades que apareciam. Discretamente o corretor chegou com uma vistosa garota para a “ceia da tarde”.
O discreto dom Juan, para que não houvesse qualquer suspeita sobre os dois, deixou a porta do escritório entreaberta (era uma porta larga que se dividia em duas).
Os dois espiões, na calçada, cada um na sua, ficaram acesos. Uma gritou: oba tem novidades!
O outro respondeu: a festa vai ser boa, não vai? E ela retrucou: se vai?! Vamos ver a hora em que  isso terminará.
Como os pombinhos demoraram demais no escritório da alcova, o que o vovô fez? Entrou em casa, pegou um arame grosso, muniu-se de um alicate e partiu para a ação. Foi na ponta dos pés até a porta do escritório e no local onde se coloca o cadeado, ele puxou as duas bandas da porta e introduziu o arame nos orifícios que tinham as duas partes da banda  da porta amarrando com a ajuda do alicate. Pronto! O estrago está feito, falou o vovô morrendo de ri. Neste momento tanto o vovô como a senhora entraram em casa e ficaram na greta  de suas janelas  esperando o desfecho da artimanha.
Qual foi o resultado?  Quando acabou o embalo do amor, como sair se estavam trancafiados?
Os pombinhos começaram a esmurrar a porta, pedindo ajuda.
O vovô com a cara mais lavada saiu fora e perguntou o que está havendo, mano? E o homem lá de dentro respondeu: deixei a porta aberta, veio um malandro qualquer e amarrou este arame e fiquei aqui preso. E o vovô respondeu: mais que gente sem o que fazer! Como faz uma coisa dessas com um cidadão como o senhor, seu corretor?
E a senhora estava às gargalhadas e dizia: o que aconteceu seu Zezito? E ele respondeu ironicamente: prenderam o senhor corretor com a senhorita aqui dentro. Já se viu uma situação assim?
A esta altura dos acontecimentos a rua estava cheia de gente para ver o espetáculo. O relógio badalava 20h00.
Os dois cabisbaixos (corretor e namorada) saíram sem olhar para ninguém.
No dia seguinte era só o que se falava: trancaram o corretor bem na hora do “vamos ver” com a amada.
Moral da história: o corretor sumiu da rua e foi  cantar amor em outras plagas. E o vovô?! ah, o vovô se explodiu de tanto ri!


17 comentários:

ELAINE disse...

Tunim, meu amigo! Adorei a história! À medida que lia, fui imaginando a cena toda e não tem mesmo como não rir! Graças a Deus me dou super bem com a minha sogra também! A propósito, no selo ilustrativo que criei para o Dia da Sogra, há uma foto minha com ela...Bênçãos de paz, alegria, união e amor! Um abençoado Domingo! Carinhoso abraço!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

✿ chica disse...

Que lçegal isso, divertido!! E esse vovô era danadinho, aprontou. Também o casal merecia,né?rssss...


Muito legal te ler! abração,chica e cada uma que temos pra lembrar!!!

soninha disse...

Eita vovô "arretado" sô!!Coisas da idade...rs.
abraços e muita paz.

Rita disse...

kkkkkk adorei esse vovô é mesmo
um sapequinha ,mas são essas coisas
boas da vida que faz do nosso dia- a-dia parecer melhor.agradeço pela visita de sempre..ah e qdo fizer alguma receita minha me manda um pedaço por e-mail rsrsrsrsr
Abraços de bom domingo bjuss Rita!!!!

Carla Fernanda disse...

Se fosse ela teria ficado escondida lá... até todo mundo sair Tunin... coitada....kkkkk
Beijos e bom domingo!!

M.Pequeno Príncipe disse...

Que vovô danado' A moça devia ter ficado escondida até acabar a confusão!
Com carinho
Pedro e Amara

Toninhobira disse...

Que sacanagem deste vovo,coisa de quem não tem o que fazer mesmo,kkk.
Um abração amigo e boa semana.

Maria Cristina Gama disse...

Olá, Tunin

Primeiramente quero agradecer pleo carinho lá no meu blogue...

Vim aqui para agradecer, não resisti e li "As peraltices do vovô"...

É, isso deve acontecer sempre, não o caso de ter um vovô e uma vovó a espiar, mas o fato de que não é possível guardar um segredo por muito tempo, sempre alguém acaba descobrindo...

Um grande beijo!

Chris

Vivian disse...

Bom dia,Tunin!!!

Bah!!!Que vovô,mais sapeca!!!!rsrsr
Imagine, que confusão!!rsrs
*Muito obrigada meu amigo, pelos votos de felicidades!!Que Deus te abençoe também!!!
Beijos!Tudo de bom!

Angela disse...

Que vovô mais peralta, hein? rs
Ri um bocado imaginando a cena toda...rs
Abraços fraternos

PEPI disse...

Quero morrer amiga deste vovô...rsrs
Uma boa semana bem colorida, Tunin
Um grande abraço de
Verena e Bichinhos

Jesus te ama! disse...

RSRSR AME

Jesus te ama! disse...

AMEI NADA COMO LEVAR AVIDA ASSIM ALEGRE ESBANJANDO ALEGRIA

ELAINE disse...

Amigo Tunim! Obrigada pelas dicas do e-mail! Passando pra desejar um abençoado 1º de Maio, de muita paz e alegria! Carinhoso abraço!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Severa Cabral(escritora) disse...

Folhas de outono adora cavalgar para visitar este blog tão cultural...
Texto gracioso...onde podemos viajar nos sonhos do vovô,com graça...
bjs amigo!

Ps:Te convido a passar no blog do nosso amigo Daniel.Pois ele escreve poemas culturais,explorando sempre nosso País.Aproveito para pedir seu conceito no poema REDES que ele fez infocando nossa cultura.
http://danielmilagredanieldaniel.blogspot.com.br/

Elisa T. Campos disse...

Bem criativo e hilariante.
Que bom se todos tivessem um vovô assim. Danadinho. Eu ri muito.

Um abraço

Patricia Galis disse...

kkk adorei.
Já fiz o post no blog quando ficar tudo ok é só conferir, tenha uma noite de paz.