Seguidores

Loading...

quarta-feira, 23 de abril de 2014

POBRE

  
Que mundo sufocante,
O da casta abandonada,
Que vive como errante,
Aos olhos da privilegiada.

Sua rotina é passar fome,
Em total desigualdade,
É o autêntico Zé sem-nome,
Falta há de humanidade.

Privam-lhe de roupas, sapatos, moradia,
Saúde, transporte, educação.
Enquanto poucos vivem na mordomia,
Rindo e curtindo satisfação.

Cobram do pobre, deveres,
Levando-o à privações.
Querem dele  afazeres,
Deleitando-se em mansões.

Pobre não tem direito,
Muitos pensam assim.
Isso é que é desrespeito,
Com o ser humano, enfim.

Se ele chora a sua dor,
Não é ouvido nem acalentado.
Tido é como lamentador,
E da porta enxotado.

Onde está o sentimento humano,
Que não vê o infortúnio do irmão?
Jogado nos braços do abandono,
Triste e perdido em aflição.


13 comentários:

✿ chica disse...

Triste mesmo essa situação! E cada vez mais os vemos!Cada vez mais os veremos, tenho certeza!!!

E bem verdade que ,muitos deles, nada fazem pra melhorar de vida, isso não podemos deixar de perceber também.

Existem até dentro das famílias, sempre tem UM que nada quer com o "basquete" e só sabe esticar as mãos e pedir, achando que sempre deve ganhar, sem nem ao menos, ser agradecido!

Por isso, meu olhar já mudou!! Vejo com outros olhos as situações!

Mas os que realmente sofrem, é triste de verdade!

Linda poesia, tema que inflama,rs abração,chica

Patricia Galis disse...

Uma maravilha de escrito e com certeza nos leva a pensar que rumo esta tomando esse mundo afff...

Vera Lúcia disse...


Olá Tunin,

A imagem ilustra bem o sentido dos seus versos. A pobreza é desumana, mas poderia ser aliviada por corações generosos e pelo próprio governo. Infelizmente, porém, o egoísmo não dá lugar à caridade. Há pessoas que se encontram na pobreza por acomodação, mas outras há que buscam, mas não encontram oportunidades. Na pior das hipóteses, os menos favorecidos pela vida deveriam merecer o 'olhar nos olhos', o respeito e a compaixão.

Grande abraço.

Dorli disse...

Oi Tunin,
Quanta coincidência, você faz lindos versos até no clamor. Eu tenho uma postagem com o mesmo teor. O dia que tiver um tempinho clica no Google: Discrepância Social Brasileira-Lua Singular.
Temos que gritar, mas não adianta nada, infelizmente.
Beijos
Lua Singular

Evanir disse...

A memória acaba por apagar grande parte dos momentos que vivemos,
dos risos que demos e das lágrimas que deixamos mas
à uma coisa que nunca se esquece, os amigos.
Os amigos ficam para toda a vida e
costuma-se dizer que a amizade verdadeira é eterna.
Os amores vêm e vão mas os amigos
continuam sempre presentes nas nossas vidas.
È nisso que eu acredito ou já teria
fenecido.
Um carinhoso abraço minha linda amizade.
Beijos na alma..Evanir.

Julia disse...


Ha sido un placer visitar tu bloc, te invito a visitar el mío,y disfrutar de una de nuestras fiestas mas bonitas con iel nuevo post sobre la Diada de Sant Jordi los libros y las rosas que te encantaran.
Espero que nos volvamos a ver y si no eres seguidora me encantaría que lo fueras, te espero en mi bloc elracodeldetall.blogspot.com

Desbravadores de Livros disse...

Palavras verdadeiras que provocam uma profunda reflexão socioeconômica. Até quanto vivemos em um país assim?

Adorei seu blog, visite o nosso, será uma satisfação. Se gostar e tiver interesse em seguir, só nos avisar que iremos retribuir com muito carinho.

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de Abril

Daniel Costa disse...

Tunin

O poema tem o mérito de ser de pura intervenção social. Todo o poeta deve ir contra poderes instituídos, a agir a seu belo prazer. Sem cuidar de respeitar os menos favorecidos. Ainda por cima, são estes meio de impostos, a de forma desumana, a contribuir, para as evidentes safardesa de mordomias de uns tantos.
Abraços

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Triste realidade tão bem descrita por você
Te desejo uma ótima tarde
Um grande abraço de
Verena e Bichinhos

Graça Pereira disse...

Cada vez o pobre é mais marginalizado...como se fosse algo sujo que não se quer junto a nós.
Neste país, á medida que a pobreza cresce...aumenta a desumanidade e a falta de caridade.
A vida é uma roda
e nem sempre roda para o mesmo lado...talvez nessa ocasião haja justiça.
Um abraço amigo
Graça




LUCONI MARCIA MARIA disse...

Ah meu amigo grande verdade teu texto, eu não me preocupo se quem necessita é realmente um infeliz ou procurou a situação, não interessa, interessa a minha consciência tranquila, se ele procurou a situação é mais infeliz do que aquele que não procurou, afinal sua alma é doente e quem sabe não é através de um gesto sincero que seu coração vai ser tocado? parabéns amigo, já compartilhei no face, abraços

Anne Lieri disse...

Beleza de poesia! As diferenças sociais doem na alma da gente! Adorei poesia e a imagem bem significativa tb. Abração,

Sônia Silvino, Crazy about Blogs! disse...

Triste! E os políticos não têm nenhum interesse em acabar com a pobreza por motivos óbvios!
Beijocas!