Seguidores

Loading...

quinta-feira, 29 de maio de 2014

INSENSIBILIDADE

                                                              starving children




Olhamos para o mundo, o que vemos?
Um montão de osso cambaleante,
Que sob um jugo repugnante,
Humanos quase sem vidas, temos.

Grito seco ecoa sem voz,
No peito lhe sangrando a dor,
Governantes insensíveis sem calor,
Receitam paliativos com efeito atroz.

Crianças famintas caem inertes ao chão,
Olhos vidrados choram misericórdia,
O homem insensato mal vê a questão.

Busca seu interesse, se dane o aflito,
Que sofre onde não existe a concórdia,
Por parte daqueles que negam o dito.


Tunin.



18 comentários:

✿ chica disse...

Treite, horrível, tétrica essa realidade ! Infelizmente isso ainda existe em tantos cantos do mundo e ver crianças assim e nada fazer ou pior, provocar situações para que isso aconteça, é o fim!

Pena!!!

um abração,tudo de bom e sempre com tua sensibilidade aflorada,junto à inspiração! chica

Dorli disse...

É Tunim

E veja a insensibilidade do ser humano e ele brigando por qualquer coisinha.
Eu já fiz a minha parte e com muito amor.
Beijos
Lua Singular

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Realidade terrível que me causa enorme dor, Tunin
Magnífica e triste poesia!
Um grande abraço de
Verena e Bichinhos

Lucimar da Silva Moreira disse...

É uma cena muito triste, muitos precisando e tem pessoas que podem e jogam fora e não ajudam, Tunin passando pra desejar uma ótima quinta-feira abraços.
Blog /Fan Page / Twitter /

Daniel Costa disse...

Tunin

Valem os poetas interventivos, com poemas ou sonetos como o teu. Nunca nos devemos de cansar de apontar a insensatez, das classes dominantes.
Obrigado, abraços!

Daniel Costa disse...

Tunin

Valem os poetas interventivos, com poemas ou sonetos como o teu. Nunca nos devemos de cansar de apontar a insensatez, das classes dominantes.
Obrigado, abraços!

Daniel Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Cidreira disse...

Ao longo desses anos de vida sempre vi essa sena, e desde então ainda não apareceu um ser humano sequer para dar um fim na miséria, o que ouvimos e vemos é só falastrise. Principalmente no continente mais desigual do mundo que é a África.
Abraço

Marineide Dan Ribeiro disse...

Eu fico imaginando se os peixes grandes, estes que acumulam grandes fortunas à custa do sacrifício humano, conseguem dormir sossegados....Eu me mataria!

Beijos

Pequeno Príncipe disse...

Tunin, que tristeza ver essa imagem.
mas é realidade de muitas crianças.
um abraço Pedrinho

Dorli disse...

Oi Tunin,
Passando para lhe desejar um ótimo dia.
Obrigada pelo carinho.
Beijos
Lua Singular

Anne Lieri disse...

Nossa Tunin! Essa poesia ficou incrivelmente linda! Apesar de toda tristeza é um recado que precisa ser dado!Bjs e bom fim de semana,

Dorli disse...

Oi Tunim,
Passando para lhe desejar uma linda noite e um belo alvorecer
Beijos
Lua Singular

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Forte Tunin, muito forte, mas seria necessário que os poderosos ouvissem, ou que alguém tivesse a linguagem forte para que parassem todos de ver estas crianças como algo longínquo inalcançável, como se fosse um filme na telinha. Tem dinheiro para enviar para ajudar revoluções, guerras,distraem-se com eventos mundialmente famosos, gastam fortunas para esses eventos, mas para estas crianças, ninguém tem olhos. Infelizmente a humanidade é desumana e eu lembro a canção:Como posso ser feliz
Se ao pobre meu Irmão
Eu fechei meu coração
Meu amor eu recusei?

Abraços Luconi

Calu B. disse...

Medonha realidade que se constata mundo a fora, longe do chamado 1ºmundo, perto da miséria imposta por eles, poderosos piratas.
Que tua pungente poesia se faça bandeira por todos os quadrantes, em todos os corações.
Abraço,
Calu

Vera Lúcia disse...


Olá Tunin,

A imagem fala por si e dói até na alma. Uma realidade que não deveria existir, mas que é alimentada pela indiferença e pelo egoísmo humano, principalmente daqueles que detém o poder.

Forte e emocionante grito de insurgimento.

Abraço.

Paulo César Alves disse...

Crianças famintas caem inertes ao chão,
Olhos vidrados choram misericórdia,
O homem insensato mal vê a questão.


E meu amado! o homem muitas das vezes só vê a questão porem não tomam uma decisão. Deus lhe abençoe.

Sônia Silvino, Crazy about Blogs! disse...

Muito triste e parece que sem solução. Não há vontade política de amenizar o sofrimento dessa gente.
Beijos, querido!