Seguidores

Loading...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

RIO CACHOEIRA DE HOJE

Em minha mocidade
Era uma festa transitar
De cidade em cidade
Para o rio admirar


Cheio e caudaloso
De águas límpidas em pureza
Dele peixe grande e saboroso
Vinha limpo à nossa mesa


Hoje o povo ribeirinho
Vive triste a lamentar
Chora sua dor de mansinho
Sem ter o que pescar


O Rio pede urgência
Para suas águas salvar
Mas o descaso e a incompetência
Vem de contínuo ignorar


Ele riacho virou
Causa-nos tristeza e dor
Do maus-tratos, também, sobrou
Um insuportável odor


Queria voltar nos anos
Para ver meu Rio potente
Livre dos crimes insanos
Do homem impenitente
Tunin

Um comentário:

Chica disse...

Que pena essa transformação pra pior ,não? Cadê a cabeça do povo???Falta muiiiiiiito!!!abraços,chica