Seguidores

Loading...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Baixa dos Sapateiros



Baixa dos sapateiros,
Célebre pedaço de Salvador.
O ciúme entre parceiros,
Fez do local um horror.

O homem enciumado
Pela mulher, sua amada,
Com pensamento atordoado,
Fogo tacou na morada.

O fogo logo se alastrou,
Devastando tudo pela frente,
O enciumado se ocultou,
Deixando o estrago presente.

Bairro cantado em prosa e verso,
Pelo poeta, compositor famoso,
Porém a ação perversa,
Quebra o tom harmonioso.

4 comentários:

Chica disse...

Uma pena que a ação perversa semkpre existe em qq canto do mundo...Lindo poema! abração,tudo de bom,chica

Mare disse...

021269nel
Não adianta embelezar por fora, se por dentro a índole é má.
Você acaba transformando notícias em poesia, Parabéns!
Abraço
Mare

Mare disse...

Beto, você está demais, acaba transformando notícias em poesia, Parabéns!
beijo Mare

Mare disse...

Beto, vc. está DEMAIS!
Bjs. Mare