Seguidores

Loading...

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

A CORUJINHA (NO PÁTIO DO COLÉGIO)


No pátio do colégio apareceu,
Uma corujinha igrejeira.
O grupo se enterneceu,
Pelo modo simples da faceira.

Seu olhar observador,
Parecia displicente.
Quando o povo curtidor,
Fazia-lhe festa, bem contente.

É o símbolo da sabedoria.
Disseram os gregos sobre a ave,
Boa inspiração os teve um dia,
A habitante do oco da árvore.

Representa o saber filosófico,
A teoria pura, a ciência abstrata.
O homem, às vezes, não é lógico,
Rasga a noite, e não nos maltrata.

Da noite, é a senhora,
Enxerga bem no escuro,
Onde o sujeito natural não explora,
O problema diário obscuro.

Uns a chamam de azarenta,
Por seu piar e esvoaçar.
Porém o azar não lhe aguenta,
É pura crendice popular.

O macho da fêmea se aproxima,
Nas garras, uma presa traz.
Se ela, com o presente, se anima,
O acasalamento satisfaz.

Um nome seria bom dar,
A essa criaturinha de estimação,
Que veio para conquistar,
O colégio, com sua afeição.

A garotada se entusiasmou,
Com o amor da corujinha.
Pra casa quase a levou,
Pra dela receber, o  olhar com carinho.


TUNIN.

12 comentários:

✿ chica disse...

Que linda visita apareceu nesse colégio e aproveitaste pra dar e ensinar detalhes sobre a sua vida. acasalamento e dá para imaginar a farra das crianças na hora desse encontro!


Linda poesia! abração,chica

Célia Rangel disse...

Eu convivi com uma coruja e sua família durante muito tempo no telhado do meu colégio. Detalhe: era sobre a minha sala e sempre me deu imensa sorte, apesar de uns e outros pedirem para eu dar fim neles... Jamais. Foi uma convivência pacifica.
Abraço.

Luiz Cidreira disse...

Tinha uma coruja bem no alto teto do galpão da empresa que eu trabalhei por 23 anos e eu fotografei e enviei para um jornal (A tarde) e logo logo chegou a TV para filmar e colocar em evidencia no seu jornal das hs: 07:00 A coruja era aquela que se chama de Coruja de orelha.
Sem pre me dei bem com a natureza e seus viventes.
E muito prazeroso ler poemas com referencias ao cotidiano natural.
Abraço

Dorli disse...

Oi Tunin,

Por aqui não vejo corujas, mas morcegos de montão.
Não acredito em mau agouro das corujas, que culpa elas têm de terem nascidos tão feinhas e um piar assustador?
Beijos
Lua Singular

Ives disse...

Olá. A coruja é simbolo de sabedoria, realmente! Amei a história em forma poética! abraços

dinapoetisadapaz disse...

Olá, Boa tarde, Turin!
Amei seu blog, adoro cavalos e sou fascinada por corujas, coisa mais linda são os filhotes de coruja.Parabéns pelo poema sobre a preciosa visita.

Agradeço seu comentário à minha participação no Evento do Viviani.Valew poeta!
Carinhoso e fraterno abç!

Toninho disse...

Muita graça nos passa esta corujinha que sentiu vontade de aprender ainda mais. Bem inspiradora a corujinha.
Um belo fim de semana amigo.
Meu terno abraço de paz e luz.

Zilani Célia disse...

OI TUNIN!
A CORUJINHA É UMA GRAÇA E TEUS VERSOS MUITO BONITOS.
ABRÇS


http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Magia da Inês disse...

。°°。✿⊱。
Muito bacana! Somente assim as crianças aprendem o valor de cada um na natureza.

Bom fim de semana!
Beijinhos°°。✿
。°°。✿⊱。

Anne Lieri disse...

Tunin,mas que coisa mais fofa essa corujinha! E trouxe um tremendo falatório sua presença,adorei! bjs,

José María Souza Costa disse...


Olá, Tunin
Amanhã, é um novo tempo.
Passei para lhe desejar Paz, Saúde e Alegria.
Todo tempo, é de reflexão. E este, nos convida sempre á refletir, principalmente, sobre nós mesmo.
Feliz tudo.

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Tunim me perdoe se estou tão atrasada, nasceu meu netinho está com sete dias e fico aqui e lá, aqui a Camila já está para ganhar também até dia 20 deste mês, então imagina a minha correria. mas corri hoje e li seus últimos poemas, amei a Belinha que cachorrinha mais linda e este da corujinha ficou perfeito, agora vou ler o das crianças, abraços Luconi