Seguidores

Loading...

sábado, 4 de outubro de 2014

CONTAR ESTRELAS




Noite escura sem luar.
A criançada na calçada a brincar,
Olha para o céu a procurar,
Brilhantes estrelas para contar.

Uma, duas, três na imensidão.
Contava cada uma sem parar.
No espaço paira a escuridão,
No firmamento, estrela a brilhar.

Divertimento sem igual.
A garotada experimentava.
Explorar o espaço sideral,
Da brincadeira, conquistava.

Olha, as ditas três Marias,
Sempre juntas a viajar.
Exclamavam os atentos espias,
Na aula prática sem luar.

Veja o Cruzeiro do Sul!
Parece a cruz da esperança.
De braços abertos orienta e conduz
Navios, ao porto, com segurança.

A estrela Dalva maravilhosa.
Sua luz a irradiar,
Astro força grandiosa,
Brilhar, brilhar sem parar.

Um risco luminoso de repente.
Risca o céu em raio fulgente.
Divide a opinião da gente.
Será uma estrela cadente?

Em algum lugar ela caiu.
Tomara que não seja por aqui.
Desceu do céu e fugiu.
Deve estar perdida por aí.

Estes pensamentos passavam
Pelo imaginário infantil.
Todos se encabulavam
Com aquela queda sutil.

Voltar para casa,
e um sonho sonhar.
À fantasia criar asa,
Para poder continuar.



Tunin.

9 comentários:

✿ chica disse...

Aplausos!!Linda poesia! E quem não lembra de querer contar estrelas e ver as cadentes? Adorei! abração praiano, tuuudo de bom,chica

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

A contar estrelas...
todas não se conseguem contar
sem nuvens, de noite lindas vê-las
lá tão altas, no céu a brilhar!

Durante o dia na terra,
cá em baixo a criançada a brincar
inocente sem pensar na guerra
da gente esteva sempre afastada!

No céu as constelações,
na terra os poetas
dentro do peito corações
ao amor de portas abertas!

Um bom fim de semana amigo Tunin,de noite estrelado
sem nuvens no céu a contar as estrelas
amanhã, é dia de votar para novo mandato
façam amigos brasileiros suas escolhas certas!

Um abraço.

Anne Lieri disse...

Oi Tunin! Que poesia maravilhosa! Adoro poemas de estrelas,ficou maravilhoso! bjs,

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Bateu saudade, das brincadeiras ma calçada, em noites estreladas...
Lindo poema!
Valeu, o poema e o recordar!!!
Meu abraço.

Célia Rangel disse...

Que mistério fantástico conversar, ver, ouvir histórias encantadas de estrelas que pairavam brilhando no céu e, de repente, despencavam... Um grande folclore era que não podíamos apontar o dedo para elas, pois nasceriam verrugas!!
Abraço.

Patricia Galis disse...

Que lindo tai uma coisa que faço sempre contar estrelas, amo ficar sentada na minha varanda a noite olhando o céu.

Edite disse...

Linda poesia Tunim, Fez-me retornar ao tempo de infância. Onde cairá a estrela cadente? Faça um pedido... ah, doces lembranças. Contar estrelas me faz lembrar tb do final do filme "pequeno príncipe". Lembra ? Estrelas rindo no alto dos céus. Uma delas era a gargalhada do pequeno Príncipe. Realmente seu poema evocou doces lembranças. Abcs

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Ohar o céu e contar estrelas...
Quem nunca?
Lindos versos, Tunin

Agradeço a sua participação lá na Frase Fofura.
Te desejo uma boa noite e bom descanso.
Um grande abraço de
Verena e Bichinhos